Posts Tagged ‘truques’

PostHeaderIcon Quando a ajuda cai do “shell”…

Muitos administradores de sistemas, desenvolvedores e até usuários (mais avançadas) de GNU/Linux (e outros tipos de Unix, na verdade) costumam lidar com a famosa “tela preta” por horas todos os dias. E, como não poderia ser diferente, mudar de diretórios é uma tarefa executada dezenas ou centenas de vezes em uma simples jornada de trabalho. Com isso, errar o caminho do diretório é algo bem comum e que, além de fazer você perder tempo, pode prejudicar sua paciência!

Uma das formas de facilitar sua vida no poderoso mundo da “tela preta” é o próprio recurso do auto completion, presente em shells com o bash. Outro truque bem simples e interessante, mas deconhecido por muitos, é comando shopt. Com ele, pode-se pedir uma ajuda da shell para completar seus comandos “cd” para mudar de diretório quando há apenas um pequeno erro de digitação.

Por exemplo, suponha que ao tentar entrar no diretório /tmp, vc execute o seguinte comando:

$ cd /tmx

Obviamente que você receberá uma mensagem de que esse diretório (/tmx) não existe. Entretanto, tente executar o comando shopt dessa maneira:

$ shopt -s cdspell

Em seguinda, tente executar o comando “cd /tmx” e confira que, mesmo tendo errado o caminho, você estará dentro do diretório pretendido, ou seja, o /tmp. Se você quiser que todas os seus terminais de comandos sejam executados já com essa opção, basta inserir o comando “shopt -s cdspell” no arquivo .bashrc ou .bash_profile (conforme sua distribuição Linux ou versão de Unix).

Antes de terminar, logicamente que o título desse pequeno post é completamente baseado nas “peripécias criativas” de meu grande amigo e mestre do shell Júlio Neves. Por fim, como se pode ver, mesmo no mundo da “tela preta”, às vezes, a ajuda cai do “shell”. Até a próxima!

PostHeaderIcon A “tela preta” e seus poderes: reduzindo a resolução de suas fotos através da linha de comando e dos “pipes”.

Foi-se o tempo em que as distribuições GNU/Linux eram limitadas aos terminais de “tela preta”. Atualmente, existem diversas alternativas de ambientes gráficos e uma vasta parafernalha de recursos para tornar seu ambiente gráfico de desktop ágil e bastante atrativo. Por outro lado, isso não significa dizer que a “tela preta” ficou para trás e não possui mais qualquer utilidade. Muito pelo contrário. Ela continua sendo uma excelente ferramenta para administradores de sistemas, analistas de segurança, desenvolvedores e usuários mais avançados.

Além de poder executar diversos comandos individuais de maneira ágil, a possibilidade de poder combinar comandos através do uso dos pipes é o que, particularmente, considero ser um dos grandes poderes “Jedi” da “tela preta”. Com esse recurso, é possível criar, facilmente, funcionalidades que não existem através de um único comando para atender às suas necessidades. É claro que, quanto maior a experiência com a “tela preta”, melhor será suas condições em usar do recurso dos pipes. E, logicamente, nada melhor do que praticar um pouco para desafiar a criatividade.

Diante disso, resolvi compartilhar por aqui um exemplo que pode ser útil para o seu dia a dia: reduzir o tamanho de suas fotos. Com câmeras digitais cada vez mais acessíveis e com a sua inclusão em diversos dispositivos como celulares e tablets, muitas pessoas costumam acumular muitos gigas armazenando suas imagens. Some-se a isso o fato das resoluções cada vez mais altas gerarem arquivos maiores. Diante disso, seja como uma forma de economizar espaço em seus meios de armazenamento (e.g. HDs externos) ou como facilitar o envio e o compartilhamento de suas fotos através da Internet, reduzir o tamanho de suas fotografias, às vezes, pode ser uma ideia interessante.

A questão é: como fazer isso de umam única vez aplicando a redução para todas as fotografias selecionadas? Bem, como você já deve ter desconfiado, a “tela preta” pode lhe ser útil nesse momento especialmente por meio do uso dos pipes. Vamos dar uma olhada?

Read the rest of this entry »

PostHeaderIcon Reiniciando um servidor Linux a partir do diretório /proc – PARTE II

Já convencido de que o Magic SysRQ Key pode ser um "truque" importante no seu dia-a-dia de sysadmin GNU/Linux, o próximo passo é conhecê-lo um pouco melhor para poder utilizá-lo de maneira mais segura e eficiente.

Uma vez que esse recurso esteja habilitado em seu kernel, a primeira saída para reiniciar um sistema GNU/Linux que já não tenha à disposição comandos como o reboot, o shutdown ou o init, consiste em executar o seguinte comando:

root@scadufax:~# echo "b" > /proc/sysrq-trigger

Esse comando irá reiniciar o seu sistema imediatamente, sem qualquer preocupação com o sincronismo e a desmontagem dos sistemas de arquivos presentes em seus discos. Isso, evidentemente, pode provocar problemas e provocar algumas outras instalabilidades no seu sistema que, a essas alturas, já deve estar bastante "sacrificado". O que fazer, então?
Read the rest of this entry »

PostHeaderIcon Reiniciando um servidor Linux a partir do diretório /proc.

Dia desses, procurando por informações a respeito de métodos de reinicialização de um servidor para casos de emergência, encontrei um pequeno e interessante artigo publicado no site da Linux Journal, a respeito de uma maneira simples, entretanto, útil, de reiniciar um sistema GNU/Linux a partir do diretório /proc. Reproduzo, então, alguns comentários a respeito desse que pode ser um interessante recurso para um sysadmin GNU/Linux guardar nas mangas!
Read the rest of this entry »

PostHeaderIcon Seção de dicas e truques criada.

Uma das coisas mais características e fundamentais do software livre está no compartilhamento da informação. Muito se aprende compartilhando experiências e desafios. A partir de agora, sempre que possível, estarei divulgando algumas pequenas colaborações na seção de Dicas e Truques. A idéia não é criar grandes tutoriais e how-to mas, simplesmente, criar apontamentos rápidos e curtos que possam, de alguma maneira, colaborar para facilitar configurações de GNU/Linux, segurança de redes e outros tópicos técnicos relacionados a software livre.

Quaisquer colaborações comentários e novas idéias, serão bem vindas!