Posts Tagged ‘Software Livre’

PostHeaderIcon FASOL 2.0: Software livre na Pérola do Tapajós.

Foto tirada no encerramento do FASOL 2010.

Distante quase 1000 km da capital do estado do Pará, Santarém, uma pequena e calorosa cidade localizada na região do Médio Amazonas, abrigou o FASOL 2.0 (Fórum Amazônico de Software Livre) na primeira semana de setembro. Conhecida como “Peróla do Tapajós”, a cidade presencia o mágico encontro das águas barrentas e verdes dos rios Amazonas e Tapajós, respectivamente, e esbanja uma beleza natural única o que lhe confere o título de “Caribe Brasileiro“. Mais interessante é notar que a cidade tem criado nos últimos anos um clima favorável e de sucesso para associar sua beleza natural a um ambiente colaborativo de compartilhamento do conhecimento por meio do software livre.

A cada ano, a comunidade de software livre de Santarém tem aumentado, amadurecido e evoluído consideravelmente. O próprio FASOL 2.0 é uma prova viva da força desses aguerridos guerreiros do software livre. Esse ano, tive a oportunidade de estar novamente na cidade para participar do evento. Ministrei dois mini-cursos: um de shell script e outro de configuração de servidor de emails com software livre; e ainda apresentei a palestra “Software Livre: Quais São os Nossos Desafios?”, todos no último dia.

Palestrantes e organizadores do FASOL 2010.

O evento contou com outros palestrantes nacionais e locais que abordaram temas técnicos e outros relacionados à inclusão digital e ao movimento de software livre, por exemplo. Dentre os palestrantes estiveram presentes a Prof. Dra. Fátima Conti (Universidade Federal do Pará), João Fernando (Revista Espírito Livre), Daniel Bruno (Projeto Fedora Brasil), Jader Gama (Projeto Puraqué), Wilken Sanches (Coletivo Digital), Enoque Calvino (UFOPA), Carlo Seixas (Futura Ubuntu), Rommel Sousa (Comunidade SOL e Ministério Público do Amazonas), Paulo Lima (Projeto Saúde & Alegria), dentre outros. Mini-cursos técnicos de assuntos variados também estiveram presentes na grade de programação do FASOL. Um deles, conduzido por Rommel Sousa, da Comunidade SOL Software Livre e do Ministério Público do Amazonas, sobre edição de vídeos com software livre, produziu como resultado prático um pequeno documentário sobre o próprio evento utilizando imagens gravadas ao longo da semana em que o FASOL foi realizado. O vídeo, exibido na sessão de encerramento, pode ser assistido AQUI.

Uma das coisas mais interessantes do evento foi a ampla participação de crianças das escolas públicas ao longo do dia para realizarem atividades nos mais de 250 computadores instalados com software livre e acesso à Internet para essa finalidade. Inclusão digital na prática!!!

Enfim, Santarém e toda sua comunidade de software livre estão, novamente, de parabéns! Ficarão boas lembranças desses dias de setembro de 2010…

PostHeaderIcon Lançamento do livro “A Revolução do Software Livre” no Latinoware 2009.

Com a presença da maioria dos autores que ajudaram na produção do livro "A Revolução do Software Livre", a Comunidade SOL fez o lançamento da publicação no último dia 23 de outubro durante o Latinoware 2009. Idealizador, organizador e um dos autores do livro, Tiago Eugenio conduziu a sessão apresentando os objetivos, as motivações e os desafios do projeto que teve dentre suas metas distribuir cópias, gratuitamente, para instituições brasileiras públicas e privadas no intuito de ajudar a disseminar os diversos conceitos e aspectos que envolvem o software livre. Mais de 100 instituições receberam cópias do livro.

Em seguida, a palavra foi repassada aos autores que aproveitaram a oportunidade pra destacar considerações sobre seus capítulos e sobre a importância do projeto. Pessoalmente, citei um exemplo ocorrido comigo há alguns anos onde um aluno, após ler um livro com conceitos completamente confusos a respeito de software livre, chegou a conclusão que o Winzip era um software livre que ele já utilizava, mesmo sem saber que esse aplicativo não pode ser classificado como livre por não respeitar as liberdades previstas para ser considerado como tal.

Marcelo Ferreira, autor do capítulo de abertura, citou a importância de se conhecer corretamente os conceitos envolvidos com o software livre. Em seguida, Alexandre Oliva comentou a respeito dos aspectos de licenciamento e sua importância no sentido de assegurar que um produto de software livre tenha, de fato, suas liberdades garantidas. Rubens Queiroz aproveitou para apresentar como exemplo o sistema Nou-Rau para catalogação e disponibilização de documentos tais como dissertações e teses de mestrado e doutorado. O sistema desenvolvido na Unicamp utilizou apenas software livre.

Após as considerações dos autores, Tiago entregou à Jon "Maddog"Hall, autor do prefácio do livro, sua cópia oficial, assinada por todos os autores presentes. Maddog aproveitou para falar a respeito da importância em se manter esforços nas atividades de desenvolvimento e disseminação de software livre.

Por fim, resta-me agradecer novamente ao Tiago pelo convite para participar do projeto do livro "A Revolução do Software Livre" e deixar AQUI um link para algumas fotos que foram retiradas durante o lançamento por Alexandre Marchetti.

PostHeaderIcon Software livre em Santarém/PA!

 

O SIGES 2008 (Semana de Informática, Geotecnologias e Encontro de Software Livre de Santarém) está na sua Quinta Edição, e desde a primeira versão da Semana de Informática de Santarém, a idéia principal era colocar em prática alguns princípios fundamentais que norteiam a construção do conhecimento: o compartilhamento de idéias e informações, a difusão livre de dados e tecnologias emergentes e a formação de parcerias construtivas.

Com a abordagem inicial voltada para a área de Informática procurou-se também a inclusão social como parte integrante desta construção; levando-se em consideração aspectos tipicamente regionais. Para a realidade amazônica, incentivar a participação das instituições e a troca de idéias entre as comunidades acadêmicas e técnicas locais no escopo do evento foi fundamental para seu sucesso e consolidação. Em 2006 detectou-se a necessidade de abordar novas tecnologias com maior ênfase, com isto, deu-se a inclusão do tema Geotecnologias. Tópicos como geoprocessamento, sensoriamento remoto, monitoramento ambiental dentre outros, começaram a se tornar obrigatórios para um melhor entendimento da realidade amazônica. Surge então a SIGES 2006.

Finalmente, para consolidar o compromisso original com a agenda do conhecimento, a inclusão social e a livre difusão de tecnologias e informações, a SIGES 2007 inclui a temática de Software Livre em seu eixo, e a firme disposição de estimular ainda mais a participação da academia, das instituições locais provedoras e consumidoras de tecnologia e da comunidade regional em geral.

Contando com a participação de estudantes de nível médio, graduação e pós-graduação,  professores, pesquisadores e profissionais da área, o evento constitui-se em excelente oportunidade de consolidação de parcerias e integração de interesses comuns de instituições de ensino e pesquisa na região de Santarém, PA, contribuindo para a inclusão digital como benefício social e como agente motivador na formação e atualização técnica e acadêmica em desenvolvimento na Amazônia.

PostHeaderIcon Seção de dicas e truques criada.

Uma das coisas mais características e fundamentais do software livre está no compartilhamento da informação. Muito se aprende compartilhando experiências e desafios. A partir de agora, sempre que possível, estarei divulgando algumas pequenas colaborações na seção de Dicas e Truques. A idéia não é criar grandes tutoriais e how-to mas, simplesmente, criar apontamentos rápidos e curtos que possam, de alguma maneira, colaborar para facilitar configurações de GNU/Linux, segurança de redes e outros tópicos técnicos relacionados a software livre.

Quaisquer colaborações comentários e novas idéias, serão bem vindas!

PostHeaderIcon Big Buck Bunny: mais um filme livre!

Pra quem gostou do resultado do Elephant’s Dream, chegou mais uma novidade criada pela equipe do Blender: Big Buck Bunny, o mais novo filme (em formato de animação) produzido apenas por meio da utilização de software livre. E o resultado dessa segunda investida parece estar sendo bem satisfatório.

Até o início de junho, já foram contabilizados mais de 1.000.000 de downloads. Vale ressaltar que, nesse número, não estão inclusos os downloads feitos a partir de outros mirrors do vídeo. A iniciativa já foi apresentada em vários congressos e simpósios, além de ter ocupado espaço em revistas ao redor do mundo. Recentemente, até uma versão em Blu-Ray foi criada. Infelizmente, esse formato, ainda é proprietário mas tende a se tornar o padrão para vídeos de alta definição. Entretanto, deixemos essa discussão para uma outra oportunidade.

A exemplo do que aconteceu com o Elephant’s Dream, uma pequena equipe de 7 pessoas de vários países foi criada, denominada Peach Team. Os selecionados, por conta do financiamento da Blender Foundation, reuniram-se em Amsterdã entre outubro de 2007 e abril de 2008 para produzir a animação. A idéia, além de utilizar ferramentas livres, consiste em trabalhar o conteúdo do projeto de maneira aberta e identificar os impactos que isso pode resultar para o processo criativo. Interessante, não?

Dentre os principais objetivos da iniciativa está a validação do Blender como uma suíte para a produção de animações profissionais. Outro objetivo é prover conteúdo para outros utilizarem como referência e como material de reutilização. A disponibilização de toda a documentação do projeto e dos tutoriais fazem parte desse objetivo.

A animação tem, aproximadamente, 10 minutos, e conta a estória de um coelho gigante que enfrenta alguns problemas com uns "roedores" que se esforçam pra tentar transformar a vida do grandalhão um pouco mais difícil. O filme não tem diálogo, então, é diversão garantida pra adultos e crianças de qualquer idade.

No site do Big Buck Bunny é possível fazer o download do filme em várias resoluções e formatos diferentes e da trilha sonora criada para o projeto. É possível ainda comprar o DVD para ajudar a iniciativa.

É uma maneira simples, rápida e bem divertida de ver o que é possível fazer em termos de animação usando ferramentas de software livre!

PostHeaderIcon Material didático para cursos de fundamentos em software livre

Com a consolidação de processo de software livre no Brasil, muitos locais do País vêm criando cursos voltados para essa área atuando nos seus mais diversos desdobramentos possíveis: desenvolvimento, administração de sistemas, ambiente usuário, mobilização, inclusão digital, dentre outros. Entretanto, envolver-se com software livre significa, antes de tudo, entender bem o seu histórico, conceitos básicos, licenças, alternativas comuns de software livre, dentre outros.
Read the rest of this entry »

PostHeaderIcon A universidade e o software livre (Parte II): a serviço dos monopólios

Apesar das universidades públicas representarem, na maioria dos casos, as melhores alternativas para a formação acadêmica no Brasil, não é novidade pra ninguém que essas instituições sofrem, há algum tempo, da falta de recursos financeiros. Salvo raras excessões, o fato é que a ausência de investimentos impede a melhoria das estruturas físicas e laboratórios, aquisições de mais títulos para as bibliotecas, aumento das remunerações dos professores, investimentos em bolsas de pesquisa e estágios acadêmicos, dentre outros. Diante de tantas dificuldades, como é possível ainda se encontrar inúmeros softwares proprietários instalados nas universidades públicas?
Read the rest of this entry »

PostHeaderIcon A universidade e o software livre (Parte I): a pirataria acadêmica

Em minha perspectiva, são muitas as relações existentes entre universidade e software livre. Em linhas gerais, as universidades, fundamentalmente as públicas, deveriam estar entre os mais significativos motores propulsores do processo de software livre. Entretanto, essa não é a realidade da maioria das instituições de ensino em nosso País. Motivado por um bate-papo descontraído com alguns amigos logo após o término de um evento de software livre, resolvi publicar algumas considerações pessoais sobre o tema na forma de uma série de curtos artigos. Há muito pano pra manga e o primeiro aspecto trata a respeito da disseminação de cópias ilegais de software.
Read the rest of this entry »

PostHeaderIcon Segurança sem software livre? Esqueça.

Há ainda quem pense ser possível tratar de segurança da informação sem associá-la, necessariamente, à software livre e vice-e-versa. Discussão sempre presente em minhas palestras, cursos e conversas junto a alunos, a ouvintes e à colegas, os dois temas, em minha perspectiva, são completamente indissociáveis. E as razões para tal fundamentam-se nas próprias definições e conceitos básicos inerentes a software livre e a segurança. E sim, é natural que, uma vez válida a premissa de que segurança e software livre são complementares, a implementação de soluções de segurança com software proprietário é utópica e recheada de riscos demasiadamente silenciosos.

Read the rest of this entry »