PostHeaderIcon “cat”, tudo bem. Mas e o “tac”?

Dia desses, tive que recorrer, como é de rotina na vida de um administrador de sistemas, à memória, para lembrar de alguns comandos que você, pode até não utilizar com muita frequência no seu dia-a-dia, mas que, por sua utilidade, você sabe que é bom aprender porque um dia ele poderá lhe ser muito útil.

Lidando com um ambiente no qual um determinado pacote e todas as suas dependências foram instaladas por meio da orientação de um arquivo que continha o nome desses pacotes listados na ordem exata de instalação, a tarefa era fazer exatamente o inverso: remover o pacote e suas dependências. Simples, não? Bastava seguir a ordem inversa do arquivo que continha a sequência de instalação. Essa lista, entretanto, não era tão pequena e seria, no mínimo, pouco desafiador, invertê-la manualmente. O que fazer, então?

Obviamente que qualquer usuário iniciante da linha de comando conhece o comando cat, utilizado, dentre outras coisas, para exibir o conteúdo de arquivos texto. Entretanto, quem conhece o tac? Como o próprio nome sugere, o tac produz o resultado inverso do cat, mostrando o conteúdo de arquivos em ordem inversa. Isso resolveria o problema de desistalar o pacote e suas dependências na ordem correta, certo? Nesse caso, com o uso do pipe e do poderoso xargs (assunto para outras oportunidaes) sequer foi necessário criar um novo arquivo contendo a lista inversa dos pacotes:

$ tac install_order | xargs -t -i pkgrm -n {}

Pronto, tudo desinstalado corretamente!

O tac está presente em muitas distribuições GNU/Linux e em outros tipos de sistemas Unix, apesar de ser desconhecido de muitos. Guarde-o em bom lugar!

 

Leave a Reply