PostHeaderIcon ubuntu-eee instalado (mesmo com a Lei de Murphy)!

Sem sombra de dúvida, uma das grandes atrações do EeePC para os linuxers de plantão, além do fato de ele vir, originalmente, com Linux (Xandros), é a possibilidade de "tunar" o pequeno equipamento, trocando o sistema original por sua distribuição preferida. Diante disso, tão logo o mini-notebook apareceu no mercado, já começaram a aparecer páginas na Internet mostrando os truques e os casos de sucesso para instalação das mais variadas distribuições Linux. Resolvi, então, tentar instalar o Ubuntu-eee, uma customização do Ubuntu, específica para o EeePC. A foto é um screenshot da área de trabalho de meu EeePC, mas nada foi alcançado sem sacrifício e algumas (imprevisíveis) surpresas.Tudo isso porque a Lei de Murphy, fantasma sempre presente em meio aos profissionais de computação, resolveu dar o ar de sua graça.

A documentação encontrada na Internet é bastante rica e bem detalhada, mais do que suficiente para proceder com a instalação (No final seguem alguns links para quem quiser obter mais informações técnicas). Um dos primeiros passos consiste, simplesmente, em transferir a imagem do Ubuntu-eee para um pen drive, uma vez que o EeePC não possui unidade de CD/DVD. Feito com sucesso, a próxima etapa é iniciar o pequeno computador pela imagem de instalação transferida ao pen drive. Após ver o processo de boot completo, deve-se prosseguir com a instalação normal. Até aí, tudo bem. Já feliz com o sucesso inicial, resolvi desligar o computador e prosseguir com a instalação de fato, em um outro momento. E foi aí que os problemas começaram.

Passadas algumas horas, ao tentar o processo de boot novamente para instalar, definitivamente, o Ubuntu-eee, recebi uma mensagem de erro do SQUASHFS. Refiz o boot e, novamente, o mesmo erro. Em seguida, sem alterar absolutamente nada, um outro erro no carregamento dos módulos. Logo em seguida, mensagens de kernel panic. E a cada nova inicialização do sistema pelo pen drive, um erro diferente acontecia.

Várias tentativas se seguiram daí em diante. A primeira delas foi criar a imagem de instalação em outro pen drive. E depois, em outro. Os mesmos erros permaneciam, mesmo diante das alterações das tabelas de partições dos pen drives e formatação com sistemas de arquivos diferentes. A segunda tentativa foi utilizar os mesmos pen drives para inicializar um outro equipamento, distinto do EeePC e, pra minha surpresa, sucesso! O processo de boot funcionou normalmente. Tentei, então, usar um SD card ao invés dos pen drives e os mesmos erros, cada vez mais assombrosos, permaneciam. Após algumas investigações na Web, encontrei relatos de pessoas que tinham passado por problemas na hora de repassar a imagem de instalação para o pen drive e a solução de contorno parecia simples e certa: utilizar um DVD-ROM externo USB para driblar a necessidade de utilizar um pen drive. Essa foi a terceira tentativa, também fracassada. Com a unidade de DVD-ROM externa, ainda tentei instalar outras distribuições e todas falhavam durante o processo de boot. A cada nova tentativa, menos sugestões e referências eram possíveis de ser encontradas na Internet. O sentimento de solidão estava cada vez mais latente. A próxima tentativa, por falta de outra mais lógica e direcionada, foi a de atualizar a versão da BIOS. Resultado? Nada de progresso.

Passados dois dias com o equipamento desligado, aconteceu o pior: o processo de boot funcionou, com um dos pen drives, e a instalação transcorreu normalmente. O sistema original havia sido substituído. E o que há de errado nisso? Simplesmente o fato de que, logo na primeira inicialização, os problemas anteriores surgiram novamente e, agora, nem um, nem outro. Enfim, nesse momento, o pequeno EeePC não passava de um pequeno computador sem um sistema operacional funcionando.

A solidão era completa. Ninguém parecia ter passado pelo mesmo problema. Sem mais saídas e sugestões, era o momento certo para postar uma mensagem no fórum eeeuser.com, um dos mais maiores dedicados ao EeePC. O fórum, mesmo bastante movimentado, não trouxe nenhuma orientação. Foi, então, que, finalmente, as nuvens de Murphy resolveram se dissipar. O único diferencial do EeePC quando comparado ao original era a memória RAM: um pente de 2GB estava no lugar dos 512MB originais. Foi, então, que resolvi trocar a memória do EeePC de 800 MHz por uma outra de mesmo tamanho de 667 MHz. Finalmente, o problema parecia ter chegado ao fim! O processo de boot com o pen drive funcionou diversas vezes, sem nenhuma mensagem de erro sequer. A instalação, da mesma maneira, ocorreu sem quaisquer problemas. Após ver o equipamento funcional novamente, a primeira ação foi atualizar a mensagem no fórum que até o momento, já tinha registrado várias visualizações mas apenas um novo post, do Rafal, da Polônia, que estava passando pelo mesmo problema.

Embora já estivesse de partida, Murphy ainda se deu ao capricho de deixar um requinte de crueldade. Com o EeePC funcionando normalmente com a memória de 667 MHz e o outro computador trabalhando perfeitamente com a memória de 800 MHz, fui levado a acreditar que o problema estava na freqüência da memória. Poucos dias depois, o computador com a memória de 800 MHz apresentou problemas de instabilidade. Veredito final: o problema era um pente de memória defeituoso! Murphy havia, finalmente, partido. E com ele, o problema do amigo da Polônia que, da mesma maneira, após a discussão no fórum, descobriu que o problema também estava em sua memória RAM.

E a instalação do Ubuntu-eee? Essa foi a parte mais fácil. Nada de diferente. Nada de complicado. Lição? Nunca duvide do poder de Murphy! Respeite-o e sobreviva.

 

Links interessantes:

 

One Response to “ubuntu-eee instalado (mesmo com a Lei de Murphy)!”

  • Marcelo Ferreira disse:

    Fala Jansen,

    Gostei do seu relato, bem bacana. E parabéns por teu ido até o final e descoberto o problema.

    Marcelo.

Leave a Reply